quarta-feira, agosto 30, 2006

O sistema é perverso!

Escola Secundária do Pinhal Novo (by Loca....)


E acabou-se! Já percebi porque não fiquei colocada novamente na Escola Secundária do Pinhal Novo, apesar de ainda estarem dois horários e meio sem professor atribuido. O sistema de colocações de professores funciona, de facto, muito mal. As escolas têm que mandar para o ministério as suas necessidades de professores para o ano lectivo seguinte, que variam sempre em função do número de alunos e da oferta de cursos que a escola abre. Só podem abrir lugares para concurso de efectivos de escola se essas necessidades forem reais para qualquer ano escolar e, aqui começa a perversidade do sistema.

Primeira perversidade:
Os cursos alternativos que as escolas vão abrindo para diminuir a taxa de insucesso e abandono escolar (CEFs e Cursos Profissionais), apesar de poderem existir SEMPRE em determinada escola não contam para as necessidades reais da escola. Assim, quando uma escola se situa numa zona mais carenciada ou onde a população é maioritariamente do campo, onde a escolaridade não é prioridade das famílias, esta fica à partida em desvantagem relativamente a outras. A oferta de cursos, que terá que ser feita em certas zonas do país, não permite que sejam colocados professores efectivos, que se envolvam na escolaridade dos alunos e, que por isso, os preparem melhor para a vida activa. Aqui a realidade que a sra ministra quer para as escolas portuguesas deixa de existir: Não interessa que os professores pertençam à escola! Pode haver mobilidade de professores porque os percursos são alternativos! Treta!...

Segunda perversidade:
Os horários, que não foram preenchidos na primeira parte do concurso, porque o sistema não o permitiu são novamente mandados para concurso como necessidades residuais da escola, ou seja, necessidades apenas desse ano lectivo. Na minha escola, porque a oferta de cursos é grande, existiam, no meu grupo disciplinar, seis horários completos mais um incompleto. Estavamos colocados na escola cinco Quadros de Zona Pedagógica. Um dos professores ficou efectivo como quadro de escola e sobramos quatro que queríamos permanecer na escola para acompanhar as turmas que tinhamos tido no ano escolar anterior, bem como, para prosseguir os projectos que entretanto tinhamos iniciado. Os horários foram feitos de acordo com as continuidades de turmas, todos nós iriamos acompanhar as nossas turmas no ano lectivo que agora se vai iniciar. Mas... o sistema apenas permite que se enviem TRÊS horários para concurso, porque se existem mais, então a escola deveria ter aberto concurso para efectivar os professores de que necessita (que não podia porque o sistema assim o diz). Se existirem mais do que três horários, estes só poderão ser enviados para concurso, desde que devidamente justificados. Nesta escola os horários sobrantes estavam mais do que justificados com a existência dos cursos que a escola oferece.

Terceira perversidade:
Apesar de os cursos que a maioria das escola oferece abrirem todos os anos e terem as turmas cheias desde Julho, porque os alunos já se inscreveram, a sua aprovação apenas chega às escolas no final do mês de Agosto. Como as necessidades residuais de escola têm que ser enviadas até 8 de Agosto, a justificação da existência de mais do que três horários num grupo disciplinar porque a oferta de escola é maior, deixa de ser válida.

Com isto o sistema permite que se guardem horários na gaveta que serão atribuidos a professores menos graduados, durante as colocações cíclicas anuais, que teoricamente, existem para colmatar situações temporárias, como sejam, licenças de maternidade e amamentação, doença prolongada, sabáticas, reduções por estágio... E, como em todo o lado, também aqui, existirão Conselhos Executivos, que guardarão horários porque o filho do amigo do namorado da filha acabou o curso há dois anos e de outra forma não ficaria colocado!

Mais de dois mil horários ficaram na gaveta nestas condições! Merda para o sistema!

Só mais uma coisinha.
A minha cara sra ministra, de quem todos dizem bem, que veio pôr ordem no sistema de ensino e veio obrigar esta cambada, à qual eu pertenço, a trabalhar diz com a boca toda cheia, que é necessário dar estabilidade às famílias, os professores têm que ficar afectos às escolas para darem continuidade aos projectos de turma e de escola. Nós, os professores, podemos ficar mais longe de casa, por três anos seguidos, porque não devemos ter o direito de ter família, concerteza. Quem vai dar apoio aos meus três filhos enquanto eu perco horas escusadas em transportes para o meu local de trabalho? Onde está a estabilidade das famílias como a da PA que não ficou colocada? Os horários existem, porque não está ela colocada ainda? Como organiza o início do ano escolar dos filhos dela? Será que os filhos dos professores não têm direito à estabilidade exigida pela ministra apenas pela escolha da profissão dos pais?

domingo, agosto 27, 2006

Férias

Férias (by Loca....)

domingo, agosto 20, 2006

Illustration Friday

This week's theme is Match and we do still match after all these years.

Match

sábado, agosto 19, 2006

Saíram as colocações dos professores

E eu estou fula da vida, claro! Mais uma vez (quarta, em sete anos) que fico colocada numa escola que não quero, quando na minha primeira opção ainda estão a sobrar DOIS horários completos!O que lhes aconteceu entre a saída do Conselho Executivo e a Lista de Colocações? Não faço ideia! Mas quero saber! Desta vez vou querer saber para onde foram e se foram ou não enviados (eu estive com o presidente do CE no dia anterior a serem mandados e VI QUANTOS ERAM).
O que me deixa mesmo fula é que o próximo ERA O MEU! Não havia mais ninguém à minha frente a querer aquela escola. O que também me deixa mesmo fula é que na distribuição de serviço para o próximo ano lectivo eu tinha a minha turma do secundário, com a continuação da direcção de turma e, agora, sinto um abandono, uma dor de alma...
Detesto começar uma coisa e não acabar. E os meus meninos vão ter exame nacional este ano. Estão mal preparados, muito mal preparados, porque este foi o primeiro ano com exame no 11º ano e, eu não orientei tão bem a matéria como gostaria. A maioria dos professores que conheço que leccionaram 10º ano, ficou assustada quando viu, de facto, os exames. E agora? Que vai ser deles? Quem lhes vai orientar o estudo? Eles são tão novinhos, tão imaturos para realizarem um exame de acesso à faculdade.
ESTÚPIDO CONCURSO, ESTÚPIDO CONCURSO, ESTÚPIDO CONCURSO, ESTÚPIDO CONCURSO, ESTÚPIDO CONCURSO, ESTÚPIDO CONCURSO, ESTÚPIDO CONCURSO, ESTÚPIDO CONCURSO, ESTÚPIDO CONCURSO, ESTÚPIDO CONCURSO, ESTÚPIDO CONCURSO, ESTÚPIDO CONCURSO, ESTÚPIDO CONCURSO, ESTÚPIDO CONCURSO, ESTÚPIDO CONCURSO!...

sexta-feira, agosto 18, 2006

Last page...

Acabou-se o meu primeiro Moleskine, fiquei viciada como deu para ver. Já sabem, preciso de mais, podem-me oferecer que eu não me importo. Lisos, A5, com 100 folhas e maravilhosamente brancos para eu os encher. Obrigadita às alminhas caridosas desde já...

Last page

quinta-feira, agosto 17, 2006

Inspire me thursday

This week's theme is an Open Challenge. The staff in Inspire Me Thursday came up with this questions, that we should answer and go from there.

"What’s your favorite source for inspiration? Do you feel you need to shake things up in your art? Are you in the mood to try a new technique, a new color palette, a new medium? What is your passion? What are your fears? What is your favorite thing about creating? Your least favorite? Why do you create? Why are you an artist? How do you describe your art? What are your goals? Your dreams?"

And this is what I came up with. Some of the questions are still rolling over my head, unanswered... maybe I'll answer them one of this days.

open challenge

quarta-feira, agosto 16, 2006

Illustration Friday

Play was the theme and I was playing with shapes and flowers and faces. Did it while thinking of two great friends of mine that died on the 15th some years ago. It looks sad, I think...
Play

terça-feira, agosto 15, 2006

Great Artists on flickr

If you like drawings you should see them, they make drawings that inspire me every day, love the work of them all. Follow the links to see more of them and then see the ones I got on mine "Queijarias de Arte", hopefully they will make your day too.

Great Artists on Flickr (by Loca....)


1. Formas / Forms, 2. art journal page, 3. flowers, 4. dropes de mentol, 5. goccobirds, 6. connection, 7. 0708, 8. postcard front 'n back, 9. Float - Illustration Friday, 10. ATCs - set 4, 11. Lion Blood, 12. Maricarmen y Maria Pilar, 13. flower hands, 14. Pintura, 15. Garden Sketches 1, 16. Illustration Friday - Broken, 17. Sketchbook - lugares, 18. waves, 19. Time to re-group, 20. Illustration Friday- Aquatic, 21. moleskine060227.jpg, 22. Sea sea sea, 23. while listening, 24. spring fever, 25. graffiti, 26. cemetery of kisses..., 27. oh, really?, 28. "clothe me with your love because I am naked", 29. 0908a, 30. 1008, 31. Small window, 32. Decadence, 33. Fresh, 34. Remote | Illustration friday, 35. Mi mamá me mima, 36. Skyline | Illustration friday

Inspire me thursday

Black and White was this week's theme, I'm posting late thou...

B&W

Tico and Augusta were my inspiration, love them both!

Ninguém deve estar interessado...

... mas eu nem me consigo deitar a pensar no contra relógio de amanhã. Há que séculos que não via uma volta tão boa como tem sido a deste ano e, é claro que eu quero que ele ganhe!

Cândido Barbosafoto em: Sala de imprensa

domingo, agosto 13, 2006

5ª, 6ª e 7ª etapas

Muda sempre a camisola amarela, em sete etapas já seis vestiram a camisola mais desejada.
7aetapafoto em: Sala de imprensa
Classificação da sétima etapa:
1. João Cabreira, Por (Milaneza-Maia), 5.03,11 horas (média: 38,135 km/hora)
2. Hector Guerra, Esp (LA-Liberty), a 13 s
3. Christian Pfannberger, Aut (Haus-Simplon), a 17 s
4. Carlos Pinho, Por (Barbot-Halcon), a 21 s
5. José Rodrigues, Por (Carvalhelhos-Boavista), a 1,02 m
6. Felix Cardenas, Col (Barloworld), a 1,28 m
7. Rui Sousa (LA-Liberty), a 2,17
8. Daniel Petrov , Bul (Milaneza-Maia), a a 2,26 m
9. Cândido Barbosa, Por (LA-Liberty), mt
10. David Blanco, Esp (C. Valenciana), a 02,29 m

Classificação geral individual:
1. João Cabreira, Por (Milaneza-Maia), 29.54,02 horas
2. Christian Pfannberger, Aut (Haus-Simplon), a 30 s
3. Carlos Pinho, Por (Barbot-Halcon), a 41 s
4. Hector Guerra, Esp (LA-Liberty), a 47 s
5. José Rodrigues, Por (Carvalhelhos-Boavista), a 1,23 m
6. Cândido Barbosa, Por (LA-Liberty), a 2,12 m
7. Felix Cardenas, Col (Barloworld), a 2,22 m
8. Rui Sousa (LA-Liberty), a 2,23 m
9. Daniel Petrov , Bul (Milaneza-Maia), a 2,32 m
10. David Blanco, Esp (C. Valenciana), a 02,36 m

Classificação geral por equipas:
1. LA Alumínios-Liberty Seguros
2. Maia-Milaneza
3. Barbot-Halcon
4. Carvalhelhos-Boavista
5. Paredes-Rota dos Móveis

Classificação por pontos:1. Cândido Barbosa, Por (LA-Liberty), 80 pontos
2. Ruggero Marzoli, Ita (Lampre), 44
3. Manuel Cardoso, Por (Carvalhelhos), 43

Classificação do prémio de montanha:1. Hélder Miranda, Por (Ribeiralves-Alcobaça), 45
2. João Cabreira, Por (Milaneza-Maia), 30
3. José Rodrigues, Por (Carvalhelhos-Boavista), 25

Classificação do prémio da juventude:
1. Tiago Machado, Por (Carvalhelhos-Boavista)
2. Ricardo Mestre, Por (Duja-Tavira)
3. André Cardoso, Por (Paredes-Rota dos Móveis)
Resumo

6aetapafoto em: Sala de imprensa

Classificação da sexta etapa:
1º Ricardo Mestre por Duja-Tavira 3:46:36
2º Tiago Machado por Carvalhelhos-Boavista a 01:33
3º Sylvester Szmyd por Lampre-Fondital a 02:36
4º Cândido Barbosa por L.A. Alumínios-Liber 02:36
5º Ruggero Marzolli por Lampre-Fondital a 02:36
6º José Rodrigues por Carvalhelhos-Boavista a 02:36
7º Pedro Cardoso por Milaneza-Maia a 02:36
8º Daniel Petrov por Milaneza-Maia a 02:36
9º Unai Yus por Paredes-Rota dos Móveis a 02:36
10ºChristian Pfannberger por Aut Elk Haus-Simplon a 02:36

Classificação geral individual:
1º Ricardo Mestre por Duja-Tavira 24:48:24
2º Tiago Machado por Carvalhelhos-Boavista a 01:47
3º Gustavo Cesar por Esp Kaiku a 01:56
4º Cândido Barbosa por L.A. Alumínios-Liber a 02:13
5º Pedro Cardoso por Milaneza-Maia a 02:33
6º Rui Sousa por L.A. Alumínios-Liber a 02:33
7º Nuno Ribeiro por L.A. Alumínios-Liber a 02:33
8º Daniel Petrov por Milaneza-Maia a 02:33
9º André Vital por Madeinox- A. R. Canela a 02:33
10º David Blanco por Esp Comunitar Valenciana a 02:34

Classificação geral por equipas:
1º Duja-Tavira 074:30:52
2º L.A. Alumínios-Liber 074:30:54
3º Milaneza-Maia 074:31:41

Classificação por pontos:
1º Cândido Barbosa por L.A. Alumínios-Liber 78 P.
2º Ruggero Marzoli por Ita Lampre-Fondital 44 P.
3º Manuel Cardoso, por Carvalhelhos-boavista 43 P.
Resumo


5aetapafoto em: Sala de imprensa

Classificação da quinta etapa:
1. Gustavo Cesar Veloso (Kukai), 3.56.06
2. Alexei Chtchebeline (Ceramica Flaminia), a 44s
3. Renato Silva (Imoholding /Loulé), a 1.17
4. André Vital (Madeinox), a 1.31
5. Cândido Barbosa (LA-Liberty), a 1.32
6. Nélson Vitorino (Duja-Tavira), a 1.33
7. Pedro Cardoso (Maia-Milaneza), a 1.35
8. Bruno Pires (Maia-Milaneza), a 1.36
9. David Blanco (Comunidad Valenciana), m.t.
10. Nuno Ribeiro (LA-Liberty), m.t.

Classificação geral individual:
1. Gustavo Cesar Veloso (Kukai), 20.59.59
2. Renato Silva (Imoholding /Loulé), a 1.22
3. Cândido Barbosa (LA-Liberty), a 1.27
4. Pedro Cardoso (Maia-Milaneza), a 1.46
5. Rui Sousa (LA-Liberty), m.t.
6. Nuno Ribeiro (LA-Liberty), m.t.
7. Danei Petrov (Maia-Milaneza), m.t.
8. André Vital (Madeinox), m.t.
9. David Blanco (Comunidad Valenciana), a 1.47
10. Nélson Vitorino (Duja-Tavira), a 1.49
Resumo

Alcácer do Sal

Estamos na Feira da Juventude até dia 14, em Alcácer do Sal. Passem por lá, as vistas são lindas...



... visitem a nossa banca...

DSC06644

DSC06639
... onde também há um cantinho do bookcrossing.

DSC06641

Nós todos...
DSC06704

e queijinhos lindos que vieram cá jantar.
DSC06670

quinta-feira, agosto 10, 2006

Mmhhhh...

Comida
Por causa destas iguarias....

agora...

ilustração de: javier gonzalez burgos

quarta-feira, agosto 09, 2006

4ª Etapa

A um segundo do camisola amarela

fotos em: Sala de imprensa


Classificação da quarta etapa:

1. Carlos Nozal, Esp (LA-Liberty), 3.53,44 horas
2. Pedro Andrade, Por (Milaneza-Maia), a 39 s
3. Lizuarte Martins, Por (Madeinox), a 1,11 m
4. José Sousa, Por (Vitória-ASC), a 1,16 m
5. Cândido Barbosa, Por (LA-Liberty), 1,53 m
6. Bruno Neves, Por (Madeinox), m.t.
7. Ruggero Marzoli, Ita (Lampre), m.t.
8. Pedro Soeiro, Por (Riberalves-Alcobaça), m.t.
9. Sergio Ribeiro, Por (Barbot-Halcon), m.t.
10. Manuel Cardoso, Por (Carvalhelhos-Boavista), m.t.

Classificação geral:

1. Lizuarte Martins, Por (Madeinox), 17.03,47 horas
2. Cândido Barbosa, Por (LA-Liberty), a 1 s
3. Manuel Cardoso, Por (Carvalhelhos), a 7 segundos
4. Hugo Sabido, Por (Barloworld), a 11
5. Martin Garrido, Arg (Duja), m.t.
6. Alexander Efimkin, Rus (Barloworld), a 13
7. Pedro Soeiro, Por (Riberalves), m.t.
8. Cláudio Faria, Por (Madeinox), m.t.
9. Pedro Cardoso, Por (Maia-Milaneza), a 17
10. César Quitério, Por (Imoholding), m.t.

4ª etapa resumo

Trocas recebidas

Materiais Recebido de Fernanda França
Troca particular que fiz com a Fernanda França, cada uma de nós juntou tecidos, botões, gregas e outros materiais para costurar. A Fernanda mandou-me muitas coisitas feitas por ela: pregadeiras, caixinhas, porta-chaves, tudo lindo, lindo. Eu não, enviei-lhe mais materiais e, apenas, um fio feito em fimo. Parece que aquilo que cada uma juntou foi exactamente o que a outra queria receber. Ambas ficamos muito felizes com esta troca particular.

Galo de Barcelos
E estes galos de Barcelos foram recebidos pela cmonkeyjump que os adora. A troca do Pack It Up Small que recebi dela, com o tema Flowers foi tão deliciosa que apeteceu-me mandar-lhe uma também.

E agora ando numa de montar as peças que fiz em fimo porque vou com a Kitty e a Snowshoee à Feira de Alcácer do Sal que decorre de 11 a 14 de Agosto, das 20,00h à meia-noite.

terça-feira, agosto 08, 2006

Tabacaria

Álvaro de Campos

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
Àparte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

Janelas do meu quarto,
Do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém sabe quem é
(E se soubessem quem é, o que saberiam?),
Dais para o mistério de uma rua cruzada constantemente por gente,
Para uma rua inacessível a todos os pensamentos,
Real, impossivelmente real, certa, desconhecidamente certa,
Com o mistério das coisas por baixo das pedras e dos sêres,
Com a morte a pôr humidade nas paredes e cabelos brancos nos homens,
Com o Destino a conduzir a carroça de tudo pela estrada de nada.

Estou hoje vencido, como se soubesse a verdade.
Estou hoje lúcido, como se estivesse para morrer,
E não tivesse mais irmandade com as coisas
Senão uma despedida, tomando-se esta casa e êste lado da rua
A fileira de carruagens de um comboio, e uma partida apitada
De dentro da minha cabeça,
E uma sacudidela dos meus nervos e um ranger de ossos na ida.

Estou hoje perplexo, como quem pensou e achou e esqueceu.
Estou hoje dividido entre a lealdade que devo
À Tabacaria do outro lado da rua, como coisa real por fora,
E à sensação de que tudo é sonho, como coisa real por dentro.

Falhei em tudo.
Como não fiz propósito nenhum, talvez tudo fôsse nada.
A aprendizagem que me deram,
Desci dela pela janela das traseiras da casa.
Fui até ao campo com grandes propósitos.
Mas lá encontrei só ervas e árvores,
E quando havia gente era igual à outra.
Saio da janela, sento-me numa cadeira. Em que hei-de pensar?
Que sei eu do que serei, eu que não sei o que sou?
Ser o que penso? Mas penso ser tanta coisa!
E há tantos que pensam ser a mesma coisa que não pode haver tantos!

Génio? Neste momento
Cem mil cérebros se concebem em sonho génios como eu,
E a história não marcará, quem sabe?, nem um,
Nem haverá senão estrume de tantas conquistas futuras.
Não, não creio em mim,
Em todos os manicómios há doidos malucos com tantas certezas!
Eu, que não tenho nenhuma certeza, sou mais certo ou menos certo?
Não, nem em mim...
Em quantas mansardas e não-mansardas do mundo
Não estão nesta hora génios-para-si-mesmos sonhando?
Quantas espirações altas e nobres e lúcidas -
Sim, verdadeiramente altas e nobres e lúcidas -,
E quem sabe se realizáveis,
Nunca verão a luz do sol real nem acharão ouvidos de gente?

O mundo é para quem nasce para o conquistar
E não para quem sonha que pode conquistá-lo, ainda que tenha razão.
Tenho sonhado mais que o que Napoleão fêz.
Tenho apertado ao peito hipotético mais humanidades do que Cristo.
Tenho feito filosofias em segrêdo que nenhum Kant escreveu.
Mas sou, e talvez serei sempre, o da mansarda,
Ainda que não more nela;
Serei sempre o que não nasceu para isso;
Serei sempre só o que tinha qualidades;
Serei sempre o que esperou que lhe abrissem a porta ao pé de uma parede sem porta.

E cantou a cantiga do Infinito numa capoeira,
E ouviu a voz de Deus num pôço tapado.
Crer em mim? Não, nem em nada.
Derrame-me a Natureza sôbre a cabeça ardente
O seu sol, a sua chuva, o vento que me acha o cabelo,
E o resto que venha se vier, ou tiver que vir, ou não venha.
Escravos cardíacos das estrêlas,
Conquistámos todo o mundo antes de nos levantar da cama;
Mas acordámos e êle é opaco,
Levantámos-nos e êle é alheio,
Saímos de casa e êle é a terra inteira,
Mais o sistema solar e a Via Láctea e o Indefinido.

(Come chocolates, pequena;
Come chocolates!
Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates.
Olha que as religiões tôdas não ensinam mais que a confitaria.
Come, pequena suja, come!
Pudesse eu comer chocolates com a mesma verdade com que comes!
Mas eu penso e, ao tirar o papel de prata, que é folha de estanho,
Deito tudo para o chão, como tenho deitado a vida.)

Mas ao menos fica da amargura do que nunca serei
A caligrafia rápida dêstes versos,
Pórtico partido para o Impossível.
Mas ao menos consagro a mim mesmo um desprêso sem lágrimas,
Nobre ao menos no gesto largo com que atiro
A roupa suja que sou, sem rol, pra o decurso das coisas,
E fico em casa sem camisa.

(Tu que consolas, que não existes e por isso consolas,
Ou deusa grega, concebida como estátua que fôsse viva,
Ou patrícia romana, impossìvelmente nobre e nefasta,
Ou princesa de trovadores, gentilíssima e colorida,
Ou marquesa do século dezoito, decotada e longínqua,
Ou cocotte célebre do tempo dos nossos pais,
Ou não sei quê moderno - não concebo bem o quê -,
Tudo isso, seja o que fôr, que sejas, se pode inspirar que inspire!
Meu coração é um balde despejado.
Como os que invocam espíritos invocam espíritos invoco
A mim mesmo e não encontro nada.
Chego à janela e vejo a rua com uma nitidez absoluta.
Vejo as lojas, vejo os passeios, vejo os carros que passam,
Vejo os entes vivos vestidos que se cruzam,
Vejo os cães que também existem,
E tudo isto me pesa como uma condenação ao degrêdo,
E tudo isto é estrangeiro, como tudo.)

Vivi, estudei, amei, e até cri,
E hoje não há mendigo que não inveje só por não ser eu.
Olho a cada um os andrajos e as chagas e a mentira
E penso: talvez nunca vivesses nem estudasses nem amasses nem cresses
(Porque é possível fazer a realidade de tudo isso sem fazer nada disso);
Talvez tenhas existido apenas, como um lagarto a quem cortam o rabo
E que é rabo para àquem do lagarto remexidamente.

Fiz de mim o que não soube,
E o que podia fazer de mim não o fiz.
O dominó que vesti era errado.
Conheceram-me logo por quem não era e não desmenti, e perdi-me.
Quando quis tirar a máscara,
Estava pegada à cara.
Quando a tirei e me vi ao espelho,
Já tinha envelhecido.
Estava bêbado, já não sabia vestir o dominó que não tinha tirado.
Deitei fora a máscara e dormi no vestiário
Como um cão tolerado pela gerência
Por ser inofensivo
E vou escrever esta história para provar que sou sublime.

Essência musical dos meus versos inúteis,
Quem me dera encontrar-te como coisa que eu fizesse,
E não ficasse sempre defronte da Tabacaria de defronte,
Calcando aos pés a consciência de estar existindo,
Como um tapete em que um bêbedo tropeça
Ou um capacho que os ciganos roubaram e não valia nada.

Mas o Dono da Tabacaria chegou à porta e ficou à porta.
Olho-o com o desconfôrto da cabeça mal voltada
E com o desconfôrto da alma mal-entendendo.
Êle morrerá e eu morrerei.

Êle deixará a tabuleta, eu deixarei versos.
A certa altura morrerá a tabuleta também, e os versos tembém.
Depois de certa altura morrerá a rua onde esteve a tabuleta,
E a língua em que foram escritos os versos.
Morrerá depois o planeta girante em que tudo isto se deu.
Em outros satélites de outros sistemas qualquer coisa como gente
Continuará fazendo coisas como versos e vivendo por debaixo de coisas como tabuletas,
Sempre uma coisa defronte da outra,
Sempre uma coisa tão inútil como a outra,
Sempre o impossível tão estúpido como o real,
Sempre o mistério do fundo tão certo como o sono de mistério da superfície,
Sempre isto ou sempre outra coisa ou nem uma coisa nem outra.

Mas um homem entrou na Tabacaria (para comprar tabaco?),
E a realidade plausível cai de repente em cima de mim.
Semiergo-me enérgico, convencido, humano,
E vou tencionar escrever êstes versos em que digo o contrário.
Acendo um cigarro ao pensar em escrevê-los
E saboreio no cigarro a libertação de todos os pensamentos.
Sigo o fumo como a uma rota própria,
E gozo, num momento sensitivo e competente,
A libertação de tôdas as especulações
E a consciência de que a metafísica é uma conseqüência de estar mal disposto.
Depois deito-me para trás na cadeira
E continuo fumando.
Enquanto o Destino mo conceder, continuarei fumando.

(Se eu casasse com a filha da minha lavadeira
Talvez fôsse feliz.)
Visto isto, levanto-me da cadeira. Vou à janela.

O homem saiu da Tabacaria (metendo trôco na algibeira das calças?).
Ah, conheço-o: é o Esteves sem metafísica.
(O Dono da Tabacaria chegou à porta.)
Como por um instinto divino o Esteves voltou-se e viu-me.
Acenou-me adeus, gritei-lhe Adeus ó Esteves!, e o universo
Reconstruiu-se-me sem ideal nem esperança, e o Dono da Tabacaria sorriu.


Álvaro de Campos

Dias produtivos...

For Illustration Friday theme Capture me and my kids worked together. We were learning how to paint with felt pens and they were amazed by the way I was painting. They said that I was doing the Spaghetti paint because I was painting with lines. And then they said: " Oh but that's right, because the air of your mermaid looks like spaghetti!

Capture
Mermaid captured by a pink algae. Maybe that is the reason why we don't see them often.

Carros
Two cars in a city and mountain scenario. They were captured by the red light. The one in the front is a Mercedes Vito with A. driving (he was already 18 years old) and the one in the back, is mine and it looks like the car that Mickey drives.

Loja
Our family in the supermarket with the sky as a scenario. The baby C. was captured on a tall toy, so she looks like she's flying. We were buying lots of food and some toys to go on holidays.


A tarde de domingo foi muito produtiva e engraçada. Estivemos sempre a fazer desenhos e eu aprendi que se pode pintar com canetas de feltro "à esparguete"...
Gostei, quero mais!

Amarela, outra vez!

3aetapafoto em: Sala de Imprensa


Resumo da etapa

Classificação da etapa:1. Martin Garrido, Arg (Duja), 4:13.38 horas (média: 40,381 km/hora)
2. Cândido Barbosa, Por (LA-Liberty), m.t.
3. César Quitério, Por (Imoholding), m.t.
4. Pedro Soeiro, Por (Riberalves), m.t.
5. Nuno Marta, Por (Imoholding), m.t.
6. Ruggero Marzoli, Ita (Lampre), m.t.
7. Gustavo César, Esp (Kaiku), m.t.
8. Manuel Cardoso, Por (Carvalhelhos), m.t.
9. Gianluca Geremia, Ita (Flaminia), m.t.
10. Jaime Castaneda, Col (Lampre), m.t.

Classificação geral individual:
1. Cândido Barbosa, Por (LA-Liberty), 13.08,11 horas
2. Manuel Cardoso, Por (Carvalhelhos), a 6 segundos
3. Hugo Sabido, Por (Barloworld), a 10
4. Martin Garrido, Arg (Duja), m.t.
5. Alexander Efimkin, Rus (Barloworld), a 12
6. Pedro Soeiro, Por (Riberalves), m.t.
7. Cláudio Faria, Por (Madeinox), m.t.
8. Pedro Cardoso, Por (Maia-Milaneza), a 16
9. César Quitério, Por (Imoholding), m.t.
10. Andrei Zintchenko, Rus (Riberalves), m.t.

Classificação geral por equipas:
1. LA Alumínios-Liberty Seguros (Por), 39.25.21 horas
2. Maia-Milaneza (Por), a 4 segundos
3. Paredes R. Móveis-Beira Tâmega (Por), m.t.
4. Team Barloworld (Por), m.t.
5. Lampre-Fondital (Ita), a 8 s

Classificação por pontos:
1. Cândido Barbosa, Por (LA-Liberty), 45 pontos
2. Manuel Cardoso, Por (Carvalhelhos), 42
3. Martin Garrido, Arg (Duja), 29

Classificação do prémio de montanha:
1. Joaquim Gregório, Por (Imoholding), 7 pontos
2. Micael Isidoro, Por (Riberalves), 6
3. Gustavo Rodriguez, Esp (Barbot), 5

Classificação do prémio da juventude:
1. Manuel Cardoso, Por (Carvalhelhos)
2. Jaime Castaneda, Col (Lampre)
3. Ricardo Mestre, Por (Duja-Tavira)

segunda-feira, agosto 07, 2006

Desclassificado!!

2aetapafoto em: Sala de Imprensa


Cândido Barbosa (LA-Liberty) foi desclassificado na segunda etapa da Volta a Portugal em bicicleta, em Lisboa, devido a sprint irregular, perdendo a vitória e a liderança para Manuel Cardoso (Carvalhelhos-Boavista).
Não achei bem mas também, quem manda andar aos SS?!...

Mais em 2ª etapa

Classificações
Etapa:
1.º Manuel Cardoso (Carvalhelhos), 4.22.36 h (média: 41,264 km/h)
2.º Ruggero Marzoli (Lampre), m.t.
3.º Marco Cunha (Madeinox), m.t.
4.º Bruno Neves (Madeinox), m.t.
5.º César Quitério (Imoholding), m.t.
6.º Enriço Franzoi (Lampre), m.t.
7. Mário Figueiredo (Riberalves), m.t.
8.º Martin Garrido (Duja), m.t.
9.º Nuno Marta (Imoholding), m.t.
10.º José Martins (ASC), m.t.

Geral individual:
1.º Manuel Cardoso (Carvalhelhos), 8.54.39 h
2.º Cândido Barbosa (LA/Liberty), m.t.
3.º Hugo Sabido (Barloworld), a 4 s
4.º Alexander Efimkin (Barloworld), a 6 s
5.º Cláudio Faria (Madeinox), m.t.
6.º Pedro Soeiro (Riberalves), a 7 s
7.º Bruno Neves (Madeinox), a 10 s
8. Andrei Zintchenko (Riberalves), m.t.
9.º Pedro Cardoso (Maia/Milaneza), m.t.
10.º Unai Yus (Paredes), m.t.

Geral por equipas:
1.ª LA Alumínios/Liberty Seguros, 26.44.27 h
2.ª Maia/Milaneza, a 4 s
3.ª Paredes R. Móveis/Beira Tâmega, m.t.
4.ª Team Barloworld, m.t.
5.ª Lampre/Fondital, a 8 s

Pontos:
1.º Manuel Cardoso (Carvalhelhos), 38
2.º Cândido Barbosa (LA Alumínios/Liberty), 25
3.º Hugo Sabido (Barloworld), 20

Montanha:
1.º Gustavo Rodriguez (Barbot), 5 pontos
2.º Bruno Barbosa (Paredes), 5
3.º Hermano Vieira (ASC), 5

Juventude:
1.º Manuel Cardoso (Carvalhelhos)
2.º Tiago Machado (Carvalhelhos)
3.º Jaime Castaneda (Lampre)

domingo, agosto 06, 2006

E vai uma...

1aetapa2foto em: Sala de imprensa


Classificação da 1.ª etapa:

1.Cândido Barbosa, Por (LA-Liberty) 4:32.13 horas
2.Hugo Sabido, Por (Barloworld, GBr)
3.Alexander Efimkin, Rus (Barloworld, GBr)
4.Manuel Cardoso, Por (Carvalhelhos-Boavista)
5.Danail Petrov, Bul (Maia-Milaneza)
6.Rui Sousa, Por (LA-Liberty)
7.Pedro Cardoso, Por (Maia-Milaneza)
8.Bruno Neves, Por (Madeinox)
9.Andrei Zintchenko, Rus (Riberalves-Alcobaça)
10. Gilberto Sampaio, Por (Paredes-Rota Móveis)

Classificação individual:

1. Cândido Barbosa, Por (LA-Liberty) 4:32.03 horas
2. Hugo Sabido, Por (Barloworld, GBr) a 04 segundos
3. Alexander Efimkin, Rus (Barloworld, GBr) a 06
4. Manuel Cardoso, Por (Carvalhelhos-Boavista a 10
5. Danail Petrov, Bul (Maia-Milaneza)
6. Rui Sousa, Por (LA-Liberty)
7. Pedro Cardoso, Por (Maia-Milaneza)
8. Bruno Neves, Por (Madeinox)
9. Andrei Zintchenko, Rus (Riberalves-Alcobaça)
10. Gilberto Sampaio, Por (Paredes-Rota Móveis)

Mais aqui

sábado, agosto 05, 2006

quinta-feira, agosto 03, 2006

Inspire me thursday

This week's theme is Non-Visual Art Form - Music. Eric Clapton it had to be! I'm just listening to Eric Clapton this days. When the school is over and all we have to do is the paperwork and all those boring things that come with it, my mind seems to need an extra of something else, most of the time is music and this year seems to be the Clapton year. I'm listening to River of Tears over and over on the way to school and it seems to peace me up. So I printed some photos of Clapton and drew this music.

River of Tears

terça-feira, agosto 01, 2006

Illustration Friday

This week's theme is Clean and, of course, I add to think of my working room. How it would be nice if it was all tidy and clean...

Clean

Férias? Ainda não!

Mas o espírito já anda por aí.

Elvas e escola


Fomos a Elvas com a A. e o N. buscar um sofá e o roupeiro da avó. Claro que tivemos que ir ver a casinha nova do R., que está a crescer a olhos vistos. Eles fazem a escritura da outra no final deste mês mas não vão ter que fazer duas mudanças porque o novo proprietário aluga-lhes a casa até Dezembro, e aí, já a deles estará pronta. Eu é que fiquei feita ao bife porque, com esta história da Bela Vista se juntar com a Ana de Castro Osório, deixei de ter sítio para pintar os azulejos que estou a fazer para uma das casas de banho. Não sei ainda como vai ser, tudo vai depender da minha colocação para o próximo ano lectivo.
Na escola, entretanto, as minhas melancias já começaram, FINALMENTE, a dar flor. Mesmo quando não tenho tido trabalho, tenho lá ido regar os canteiros, pelo menos de dois em dois dias. Os queijinhos acham que é uma festa, vão comigo quase sempre, adoram ir à escola da mãe, e querem fazer tudo o que se relacione com horta. Vão ter mãos verdes estes meus meninos. Depois da escola temos sempre feito um programa qualquer especial. Este ano as férias vão ser por onde calhar, por isso, tudo o que é diferente, para eles sabe-lhes bem. Já foram ver os filmes dos carros e o pular a cerca e vieram encantados.