quarta-feira, abril 12, 2006

Interrupções lectivas

Esta é uma das razões porque gosto da Páscoa. Mesmo que fiquemos com montes de trabalho para o período lectivo seguinte, podemos fazê-lo com os nossos filhos e há sempre um bocadinho para as outras actividades que gostamos de fazer com eles. Por isso, há dois dias atrás, ficámos em casa e... pintámos.
Começámos por pintar t-shirts, que é uma das nossas actividades preferidas. Preparámos tudo, escolhemos as t-shirts que íamos pintar, definimos os desenhos e... mãos à obra. Cada um pintou uma, com um desenho que escolheu e a coisa correu muito bem. Eu acho espantoso o tempo que estes queijinhos conseguem estar concentrados quando a actividade é do seu agrado. Sorte a minha que eles adoram estas actividades de pintura tal como eu. Estivemos horas nisto, até a C. participou e deixou que estivessemos horas a trabalhar.
Sessão de pintura de t-shirts
Início do trabalho.
Sessão de pintura de t-shirts
F. a fazer o seu desenho.
Sessão de pintura de t-shirts
A. a fazer o seu desenho.
Sessão de pintura de t-shirts
C. ainda só pode desenhar com lápis em papel, mas já segura muito bem nos materiais.
Sessão de pintura de t-shirts
A. a encher o desenho com tinta. Os pincéis fizeram sucesso, para cada cor e cada área foi escolhido um pincel diferente.
Sessão de pintura de t-shirts
F. a encher o desenho. O pincel preferido foi o chinês.
Sessão de pintura de t-shirts
T-shirt do F. Carros numa estrada, com o Sol e um carro voador com ventoinha, que estava ao pé duma nuvem.
Sessão de pintura de t-shirts
T-shirt do A. Da esquerda para o direita: um Talbot velhinho, era o do R. que é para o F., o nosso Skoda para a Loca e o Renault clio novo para o A. que é o seu carro preferido. Estão desenhados por trás para se verem os pormenores dos limpa-vidros e dos faróis que são mais bonitos atrás.
Sessão de pintura de t-shirts
T-shirt da Loca, estava começada há imenso tempo, provavelmente será para a S. que é doida por vacas, vá-se lá saber porquê.


Esta parte é especial para a Kitty e as outras meninas... Andam por aí a dizer: oh Loca, tu tens umas mãos que fazem tudo, todos os teus trabalho são giros, tens imaginação e etc, etc... aquelas coisas que nos deixam sem jeito porque não podemos responder: eu sei, eu sei, sou uma artista do melhor que há, comigo não falha nada, sou óptima... Bom, mas adiante...
Depois de terminado este trabalho, que foi uma delícia, resolvemos que era altura de tratar dum móvel velho que temos para arranjar. Vai daí, os queijinhos foram afagá-lo, porque decidimos que íamos forrar a porta e a gaveta com guardanapos de grãos de café.
A afagar um móvel.
A afagar energicamente.

Escolhi fazê-lo utilizando a técnica de découpage que tinha ouvido a Kitty explicar às outras meninas. Parva, digo eu, quem manda ir na conversa dos outros? Separei cuidadosamente as três folhas do guardanapo para utilizar apenas a de cima. Besuntei as partes do móvel a cobrir com cola, aqui já com a ajuda dos queijos e, depois, começámos a colar os pedaços de guardanapo. Na gaveta utilizámos dois pedaços grandes. A coisa começou a correr mal quando os fomos cobrir com cola novamente, aquilo fugia por todos os lados. Mas terminamos, bem ou mal ficou a secar.
A forrar com guardanapos.
Aspecto da gaveta depois de colocados os guardanapos.

Depois, para a porta, que tinha uma superficie maior, resolvi que era boa ideia rasgar o guardanapo, como tinha ouvido a Kitty dizer. E lá fomos colando pedacinhos de guardanapo. Correu um bocado melhor do que na gaveta. Conseguimos cobrir tudo com cola e só numa zona aparentava existir uma bolha. Deixámos a secar e fomos passear.
No dia seguinte de manhã esta era a bela bosta que se via:
Pormenor da porta
Aspecto final da porta.
Pormenor da gaveta
Aspecto final da gaveta.

Esqueci-me de várias coisas: só uma folha de guardanapo fica transparente, portanto notam-se todas as sobreposições. A quantidade de cola que utilizei foi a mesma que utilizo para cartão e papel grosso, portanto aqui fez com que aquele pedacinho de papel muito fininho e maleável fosse empurrado pelo pincel e rompesse.
Também, como no final bate sempre tudo certo, um dia destes afagamos novamente este móvel, forramos com a tecnica que costumamos utiolizar que permite sobreposições de materiais e mostramo-vos um móvel novinho em folha.

5 comentários:

Tico disse...

Isto é o que verdadeiramente se pode chamar trabalho infantil ;)

syrin disse...

Que sorte têm os teus queijinhos de te terem a ti para passar tempo com eles.

Eu cá estou mortinha para que acabem as férias, para que os pais deixem de "largar" os miúdos por aqui, à espera que tomemos conta deles... sigh!

ana disse...

Que inveja da vossa criatividade. Eu não tenho jeito, nem criatividade, nem disponibilidade para trabalhos de mãos. Gostava muito de bordar, mas agora a vista já não dá para isso. O meu H. é o oposto: pinta t-shirts, quadros, azulejos, desenha e faz móveis... Mostrei-lhe as vossas obras e ele pergunta que material usaste para pintar as t-shirts.

Loca disse...

umas canetas de feltro próprias para texteis e tintas para texteis da Pebeo. Ele tambem pinta azulejos? Temos que trocar umas dicas...
:))

ana disse...

Bem, na verdade sempre pintou pouco azulejos, só por graça. Era sim quem desenhava os painéis na fábrica do meu pai, aquela que fechou :-((
Estudou na António Arroio, mas infelizmente não completou os estudos. Eu acho-o tremendamente criativo, mas com pouco tempo e espaço para soltar-se.