sexta-feira, janeiro 20, 2006

Regurgitofagia...


...de Michel Melamed.
Excelente livro. Bookring de emoutraspalavra. Este livro foi a base para uma peça de teatro do autor que teve grande êxito no Rio de Janeiro. Na peça, o autor estava enrolado em fios e sofria as reacções da plateia através de uma máquina criada para o efeito. Tudo o que fosse risos, tosse ou aplausos transformavam-se em choques eléctricos contínuos que criavam uma tensão permanente na plateia. O livro também nos deixa presos, parece poesia por vezes, transforma-se em jogos, faz-nos sorrir e eu adorei.

'vomitar' os excessos a fim de avaliarmos o que de fato queremos redeglutir.

Casa comigo que te faço a pessoa mais feliz do mundo. A mais linda, a mais amada, respeitada, cuidada...A mais bem comida. E a pessoa mais namorada do mundo e a mais casada. E a mais festas, viagens, jantares... Casa comigo que te faço a pessoa mais realizada profissionalmente. E a mais grávida e a mais mãe. E a pessoa mais as primeiras discussões. A pessoa mais novas brigas e as discussões de sempre. Casa comigo que te faço a pessoa mais separada do mundo. Te faço a pessoa mais solitária com um filho pra criar do mundo. A pessoa mais foi ao fundo do poço e dá a volta por cima de todas. A mais reconstruiu sua vida. A mais conheceu uma nova pessoa, a mais se apaixonou novamente... Casa comigo que te faço a pessoa mais 'casa comigo que te faço a pessoa mais feliz do mundo.

Sabe aquele 'teste roschard'? Aquele teste de psiquiatria que mostra uma mancha, um borrão no papel, e tudo que é maluco já pensa em sexo ou morcego? Então, tem a ver. É o seguinte: você pega qualquer história, vai botando longe, lá longe, como se fosse uma cadeia de montanhas, lá... lá no horizonte. Tem uma distância que você coloca as coisas, todas as coisas, qualquer coisa, que elas ficam pequenininhas, só o essencial, como uma sombra, um vulto... e que é de sim ou de não. Tá acompanhando? É simples: tudo em última análise é um sim ou um não. É boa coisa ou é ruim pra você. Isso serve para tudo. Por exemplo: pensa na tua mulher. Pensou? Agora joga a tua mulher lá longe... cadeia de montanhas lá no horizonte... muito bem. Tá lá? No limite? A última forma? Vê o vulto? O vultinho pequeniniiiinho? É sim ou não. Hein? Sim ou não, rapaz! Sacou?! Pensa no teu trabalho... Jogou o trabalho lá longe! Cadeia de montanhas lá no horizonte... Tá vendo o trabalho pequenininho? Sim-ou-não? Pensa rapaz, pensa! Tudo nessa vida é assim. De tudo pode restar apenas o não ou o sim. O mundo é nosso! Pode olhar. Vai... joga o mundo lá longe pra ver!

3 comentários:

ana disse...

Também gostei imenso, e fui assaltada por uma vaga suspeita: a letra das anotações a lápis do emoutraspalavra era muito semelhante à letra dos apontamentos do autor. Mmm...

emoutraspalavra disse...

Que bom gostaram! Sou Michel (Marques), mas não sou o Malamed não! É só ver o desenho na minha bookshelf e o autor na capa.

Loca disse...

O livro é excelente muit obrigada pela partilha.
:))